Importância dos zoológicos para a conservação

Um artigo divulgado pela Biological Conservation revelou que oito espécies de aves foram realmente extintas neste século. E, dentre essas oito, quatro são brasileiras: a ararinha-azul (Cyanopsitta spixii), o limpa-folha-do-nordeste (Philydor novaesi), o trepador-do-nordeste (Cichlocolaptes mazarbarnetti) e o caburé-de-pernambuco (Glaucidium mooreorum). Segundo os pesquisadores, a extinção dessas aves aqui no Brasil se deve ao desmatamento. Veja matéria completa aqui: https://bit.ly/2NSj1p0 

Foto divulgação ICMBio

Aqui no Parque das Aves, um Centro de Conservação Integrada de Aves da Mata Atlântica, trabalhamos dentro do princípio de conservação integrada, que prevê a união de esforços e estratégias para a conservação de espécies. Sempre que possível, procuramos estabelecer parcerias com projetos que trabalhem com a conservação de espécies ameaçadas. E isso é feito de diversas maneiras, seja através da doação de recursos para projetos, atuação direta em campo, reprodução para a conservação, conscientização e divulgação.

Filhotes de mutum-de-alagoas

Um dos exemplos disso é a participação no Programa de Cativeiro do Mutum-de-alagoas, onde desde 2015 reproduzimos mais de 20 filhotes de mutum-de-alagoas, ave considerada extinta na natureza, aumentando em 10% a população mundial da ave. Atualmente, a salvação da espécie depende de sua reprodução sob cuidados humanos. E é nesse contexto que o trabalho desenvolvido por zoológicos ganha cada vez mais força e importância. Embora não se possa voltar e evitar que essas espécies hoje extintas desaparecessem, podemos trabalhar em prol das que ainda estão na natureza.

Please follow and like us: