Gestão ambiental no Parque das Aves

Existem várias formas de ajudar no cuidado da Mata Atlântica, e uma das mais importantes é fazer a separação dos nossos resíduos orgânicos e recicláveis. É possível que, enquanto você lê este texto, você esteja gerando algum resíduo, como um pacote de bala, a folha de um caderno, a casca de uma banana, um copo plástico ou a embalagem de um produto.

Nos dias atuais, não gerar resíduos é uma prática difícil, pois na maioria dos itens que compramos vêm em embalagens desnecessárias que acabam sendo descartadas no primeiro uso, como por exemplo, as caixas de pasta de dente, embalagens de frutas e vegetais, bandeja de carne de isopor, envelope plástico individual para sachês de chá, porta-borracha, embalagem individual para cada absorvente e provavelmente muitos outros que você vai se lembrar. Tudo isso acontece quando não se questionam esses aspectos na hora da compra, causando grandes impactos no meio ambiente.

Embalagens desnecessárias geram uma quantidade imensa de resíduo, que nem sempre pode ser reciclado

Segundo a Associação Brasileira de Limpeza (ABRELPE), em seu relatório  Panorama dos Resíduos Sólidos no Brasil, a quantidade de resíduos sólidos urbanos (RSU) gerados no Brasil em 2017 foi de mais de 71 milhões de toneladas! Destes, em torno de 34% foram levados para aterros sanitários, cerca de 29% foram destinados para aterros controlados (aterros sem impermeabilização do solo, ou seja, o chorume que surge da decomposição do lixo consegue passar pela terra, contaminando a água subterrânea) e 35% foram parar em lixões. Para se ter uma ideia, todo o resíduo que não foi corretamente destinado neste ano poderia encher mais de 6 mil piscinas olímpicas! Já pensou?

Os resíduos que são destinados a lixões geram um grande problema ambiental e de saúde pública, já que a exposição a céu aberto atrai animais que podem transmitir doenças e contaminar pessoas, e ainda, polui os recursos hídricos e o solo da região. Sobre os aterros sanitários, ainda é a opção mais adequada para a destinação dos resíduos. Portanto, é sempre muito importante separar os resíduos orgânicos dos recicláveis, para evitar que a vida útil do aterro sanitário seja reduzida, e que novas áreas tenham que ser adquiridas para a implantação de aterros.

Lixões geram muitos problemas ambientais e sociais nas cidades, que poderiam ser resolvidos com a implantação de aterros sanitários

Os diferentes resíduos gerados no Parque das Aves

Fazer a separação dos resíduos, além de ser simples, é algo que ajuda, e muito, na conservação da Mata Atlântica: a reciclagem evita uma nova extração de matéria-prima do ambiente natural, e cria a possibilidade de que os resíduos orgânicos possam ser utilizados como fertilizantes. Aqui no Parque das Aves, a separação dos resíduos é feita em todos os setores, e eles são aproveitados da melhor possível.

Resíduos orgânicos no Parque das Aves

No Parque das Aves, são gerados em média 150 kg por dia de resíduos orgânicos, que são produzidos na cozinha dos funcionários, na cozinha onde são preparados os alimentos das aves, no restaurante e na lanchonete, além das sobras da alimentação dos animais. Estes resíduos são levados para uma área onde é realizada a compostagem.

Processo de compostagem

Tudo tem início com a ajuda dos colaboradores do Parque das Aves, que levam os resíduos orgânicos para barris feitos em tela, misturando-os com matéria seca como palhas e serragem, para evitar a proliferação de insetos e mau cheiro. Durante o processo, a aeração do composto é controlada, pois a umidade e a temperatura podem chegar até 55°C. É adicionado um acelerador de compostagem para agilizar o processo. Depois de seis meses, o composto produzido está pronto para ser usado como adubo nos jardins e plantios de árvores pela trilha do Parque das Aves.

Resíduos recicláveis no Parque das Aves

Na trilha do Parque das Aves e na área interna, há lixeiras para funcionários e visitantes disporem os resíduos recicláveis. Depois de recolhidos, eles são separados pela sua tipologia – papel, metal, vidro e plástico – e armazenados em um local limpo e arejado. Após isso, os resíduos são recolhidos por uma empresa terceirizada que irá destinar corretamente os materiais.

Ações que parecem muito simples, como fazer a separação dos resíduos, encaminhar os recicláveis para destinação adequada e compostar os resíduos orgânicos, na realidade são extremamente importantes para evitar a poluição do ambiente e a necessidade de retirar mais matéria-prima da natureza quando esta poderia ser reutilizada. Estas atitudes fazem uma diferença imensa na conservação da Mata Atlântica!

Espaço de separação de lixo

Lixo eletrônico no Parque das Aves

O descarte incorreto de aparelhos eletrônicos causa grandes impactos ao meio ambiente, que podem contaminar solos e água subterrânea, trazendo muitos prejuízos à saúde humana, pois conta com metais pesados tóxicos em sua composição. Por isso, é muito importante evitar a compra desnecessária destes produtos e sempre descartá-los nos locais adequados, para que suas peças possam ser reaproveitadas, evitando a extração de recursos naturais para a montagem de novos produtos.

Aqui no Parque das Aves, os colaboradores podem trazer seus resíduos eletrônicos para descarte adequado, contribuindo com o cuidado da Mata Atlântica. Se você tem algum resíduo eletrônico para descartar e não sabe como, é só acessar o site do eCycle, onde você pode colocar o tipo de resíduo a ser descartado que o site indica o ponto mais próximo para o descarte.

Caixa de lixo eletrônico

Nossa lanchonete sustentável

Já pensou na quantidade de resíduos gerados quando você pede um pedaço de bolo com um suco de laranja em uma lanchonete? Em muitos casos eles são servidos em pratos, copos e talheres descartáveis, e ainda acompanham canudos plásticos, que podem levar de 250 a 400 anos para desaparecerem completamente da natureza.

Por isso, na lanchonete e no restaurante aqui do Parque, os lanches e refeições são servidos sem utilizar esses itens que poluem. Ao invés disso, a comida é oferecida em louças que podem ser usadas novamente depois de lavadas, evitando a geração de resíduos desnecessários. Caso o visitante queira levar algo para casa, os potes, canudos e copos ofertados são de papel, que levam muito menos tempo para se decompor. Já os talheres para viagem são de madeira!

Separação de lixo no restaurante

Atitudes simples como essas podem fazer uma enorme diferença para a sustentabilidade de empresas que atendem um grande público todos os dias. Que tal se inspirar e levar ideias assim para o local em que você trabalha também?

Please follow and like us: