Para salvar espécies, Parque das Aves assina acordo oficial

Celebrado em maio, acordo entre instituições ambientais almeja salvar espécies de aves da Mata Atlântica!

Claravis“. Uma palavra em latim, feita de duas partes: “clarus“, que significa “iluminado, claro”, e “avis“, que significa “ave”.

De fato, criar um futuro brilhante e iluminado para as aves da Mata Atlântica é o objetivo do Instituto Claravis, nascido especialmente para salvar espécies desconhecidas, esquecidas e precisando urgentemente de amparo e atenção.

Fundado pelo Parque das Aves, o Instituto Claravis acaba de formalizar o trabalho realizado desde 2017 em prol das aves ameaçadas do bioma.

Por isso, no mês de maio, celebrou um acordo de cooperação com o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), que foi publicado no Diário Oficial da União.

A parceria irá fortalecer o trabalho das instituições na implementação do Plano Nacional para Conservação das Aves da Mata Atlântica (PAN Aves da Mata Atlântica), documento oficial que define as estratégias para conservar essas espécies.

Um plano para salvar espécies

Um Plano de Ação Nacional para a Conservação de Espécies Ameaçadas de Extinção é um documento, construído de forma participativa por diversas pessoas e instituições.

O objetivo de um PAN é organizar ações para conservar espécies de plantas, animais e outros seres vivos, assim como os ambientes naturais onde eles vivem.

Então, criando esse documento, é possível identificar as ameaças para espécies em risco de extinção e planejar formas de combatê-las.

Elaborado em 2014, o PAN Aves da Mata Atlântica contou com a participação de 31 especialistas, representando 25 instituições diferentes.

Juntos, eles definiram as estratégias prioritárias para conservar as aves desse bioma, como proteger os ambientes naturais onde as aves vivem; e reintroduzir aves nativas nessas áreas; reduzir a caça e a captura ilegal desses animais; avaliar o efeito de alterações climáticas sobre essas espécies e controlar as espécies exóticas invasoras.

Para isso, uma das estratégias propostas no plano é conservar os animais em locais especializados (zoológicos ou criadouros), como o Parque das Aves.

Liderando ações para salvar espécies

Em resumo, todo PAN tem quatro etapas principais, que incluem planejar as ações (1), implementá-las (2), monitorá-las (3) e avaliar os resultados alcançados (4). Então, as instituições envolvidas cumprem essas quatro etapas no período de duração do PAN, chamado de “ciclo”.

Anualmente, o Grupo de Assessoramento Técnico (GAT) realiza o monitoramento das ações. No entanto, quando o GAT percebe que é necessário, pode estender esse período, criando um “novo ciclo”.

Parte do GAT desde o primeiro ciclo, o Parque das Aves agora tem o papel de coordenação executiva do plano, junto com o Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Aves Silvestres (CEMAVE).

“Estamos planejando a elaboração do segundo ciclo do PAN Aves da Mata Atlântica, um passo muito importante para os trabalhos dessa nova fase

Eduardo Barbosa, coordenador do PAN Aves da Mata Atlântica, do Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Aves Silvestres (CEMAVE)

Para mais detalhes sobre o envolvimento do Parque das Aves no PAN Aves da Mata Atlântica, clique aqui.

Nascido para proteger espécies em risco

Fundado pelo Parque das Aves, o Instituto Claravis nasceu depois que uma espécie de pomba, chamada pararu-espelho (Paraclaravis geoffroyi), desapareceu da região do Iguaçu.

Algumas aves da Mata Atlântica são naturalmente raras.

Outras, são pouco conhecidas – geralmente por falta de pesquisas científicas.

Assim, muitas aves já estão em risco de extinção antes mesmo que as pessoas as conheçam bem.

Por isso, pode ser que ninguém perceba o que está acontecendo… até que seja tarde demais.

De fato, foi o que aconteceu com a pararu-espelho. O nome dessa ave tem relação com o brilho metálico em suas asas, que lembra um “espelho”. E, assim como um espelho real, elas geravam reflexos intensos quando batiam as asas. No entanto, devido à extinção, seu bater de asas cessou cedo demais.

pararu-espelho-ave-que-inspirou-a-criação-do-instituto-claravis
Desenho da pombinha pararu-espelho, ave que inspirou a criação do Instituto Claravis. Ilustração: Equipe do Parque das Aves.

Porém, a espécie continuou a deixar um reflexo: ao receber essa notícia, a diretora executiva do Parque das Aves, Carmel Croukamp, decidiu focar todos os esforços da instituição no abrigo e conservação de aves da Mata Atlântica. Por isso, em 2017, a missão do Parque das Aves mudou!

“O desaparecimento da Claravis, como carinhosamente chamamos a espécie aqui no Parque, nos fez repensar nossa atuação.

Ela nos inspirou a criar um instituto em sua homenagem, com o intuito de aprimorar ações eficazes e colaborativas para salvar as espécies ameaçadas em nosso país.”

PALOMA BOSSO, DIRETORA TÉCNICA DO PARQUE DAS AVES

Uma nova chance para as aves da Mata Atlântica


Atualmente, a Mata Atlântica é o segundo bioma com maior variedade de espécies no mundo, principalmente em termos de flora. No entanto, esse também é um dos biomas mais ameaçados do planeta. Inclusive, embora 17 estados brasileiros estejam em domínio de Mata Atlântica, mais de 90% da sua área original já desapareceu.

“Com áreas importantes desaparecendo rapidamente, muitas aves vão sumindo no mesmo ritmo.

A situação é ainda mais grave para as espécies endêmicas, que só ocorrem em uma região específica.

Em alguns casos, onde existiam bandos grandes, hoje são encontrados somente alguns indivíduos.

Às vezes, a espécie já foi regionalmente extinta.”

PALOMA BOSSO, DIRETORA TÉCNICA DO PARQUE DAS AVES

Hoje, a Mata Atlântica é o lar de 890 espécies de aves. Destas, 215 são exclusivas do bioma – ou seja, não existem em nenhum outro lugar do mundo!

Por exemplo, uma ave exclusiva da Mata Atlântica que desapareceu rapidamente é a saíra-apunhalada, espécie criticamente ameaçada de extinção. Inclusive, restam apenas 19 indivíduos conhecidos no planeta! Por isso, é absolutamente urgente tomar atitudes eficazes para salvar esses animais.

saíra-apunhalada-ave-rara-da-Mata Atlântica
Uma saíra-apunhalada nos galhos de uma árvore. A população da espécie, criticamente em risco de extinção, possui apenas 19 indivíduos restantes no mundo. Foto: Ben Phalan.

Voando em direção à nova fase


O Instituto Claravis é composto por dois centros com sede em Foz do Iguaçu, que trabalham de forma complementar para salvar espécies: o Centro de Conservação de Aves da Mata Atlântica e o Centro de Sobrevivência de Espécies Brasil.

Filhote-de-jacutinga-nascido-no-Parque-das-Aves-para-salvar-espécies
Um filhote de jacutinga nascido no Parque das Aves. A espécie está no plano nacional para conservar as aves da Mata Atlântica. Para salvar espécies como a jacutinga, o Parque das Aves realiza a reprodução sob cuidados humanos. Foto: Equipe do Parque das Aves.

Assim, o objetivo da parceria entre o Instituto e o ICMBio é acompanhar e implementar o PAN Aves da Mata Atlântica em conjunto. Para isso, as ações propostas iniciaram em abril de 2022, com conclusão prevista para abril de 2027.

Além disso, as instituições parceiras irão trabalhar para divulgar as espécies listadas no plano. Por fim, pretendem difundir a observação de aves como uma prática de educação para a conservação.

“Estamos muito honrados em formalizar essa parceria, que já vem rendendo frutos há muitos anos.

O Instituto Claravis irá dar ainda mais força ao nosso trabalho para salvar aves da Mata Atlântica

Paloma Bosso, diretora técnica do Parque das Aves

Portanto, nessa nova fase, repleta de novos desafios e conquistas para as espécies em risco de extinção, o Instituto Claravis almeja criar um futuro brilhante para as aves ameaçadas da Mata Atlântica. Cumprindo nossa missão, levaremos adiante o legado da espécie que nos inspirou!

Quer saber mais sobre a missão do Parque das Aves e do Instituto Claravis? Então, assista esse vídeo:

A história da pombinha pararu-espelho inspirou o Parque das Aves a criar o Instituto Claravis.

Descubra as aves da Mata Atlântica

Em em sua próxima visita a Foz do Iguaçu, que tal visitar o Parque das Aves e conhecer as aves da Mata Atlântica bem de pertinho? Inclusive, estamos em frente às Cataratas do Iguaçu! Veja mais detalhes sobre a visita aqui!

uru-do-sudeste-ave-da-mata-atlântica
O Parque das Aves é um espaço de conexão única com as aves da Mata Atlântica.
Foto: Equipe do Parque das Aves.


Como você se sentiu com este conteúdo?
+1
1
+1
2
+1
0
+1
0
+1
0
+1
0
+1
0