Flora da Mata Atlântica: uma diversidade fantástica

Campeã mundial em diversidade de árvores, a Mata Atlântica possui uma flora incrível. Veja como ela faz parte do seu dia a dia!

Seja na arborização urbana, em nomes de ruas ou na fruteira de casa, as plantas da Mata Atlântica estão muito presentes na nossa rotina.

A maioria dos brasileiros conhecem ao menos uma das suas espécies – como o pau-brasil, o ipê, a quaresmeira, o jacarandá, a peroba, a embaúba ou o ananás.

Essa diversidade cria as condições perfeitas para abrigar um número de espécies, que vivem conectadas.

Os recintos no Parque das Aves estão inseridos em meio às árvores da Mata Atlântica, visando oferecer o melhor ambiente possível às aves abrigadas, que são nativas desse bioma. Foto: Equipe do Parque das Aves.

Gigante pela própria natureza

Espalhada por 17 estados brasileiros, a Mata Atlântica possui territórios de Norte a Sul do país.

O bioma está presente nos estados de Alagoas, Bahia, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, Santa Catarina, São Paulo e Sergipe.

Seus ecossistemas variam de acordo com o clima de cada região: há florestas de diversos tipos, campos de altitude, brejos, mangues, restingas e ilhas oceânicas.

Mata Atlântica, nosso lar

Na Mata Atlântica, há árvores que chegam a ter 60 metros de altura.

Sua copas deixam o clima úmido e sombreado e, nessa sombra, crescem outras árvores, de muitos tamanhos e formatos.

Assim, vários animais se abrigam em “andares” diferentes, rodeados de musgos, cipós e líquens.

Lar de animais bem conhecidos (como mico-leão-dourado, onça-pintada, bicho-preguiça e capivara), a floresta também abriga centenas aves e anfíbios exclusivos do bioma.

Além disso, cerca de 70% da população brasileira vive em área de Mata Atlântica.

Assim, suas águas abastecem mais de 3 mil municípios brasileiros!

A flora da Mata Atlântica está presente em 17 estados brasileiros. Foto: Equipe do Parque das Aves.

A floresta na nossa rotina

Suco de maracujá, goiabada, castanha de caju, tereré e chimarrão.

Sabe o que esses alimentos, tão comuns na nossa rotina, têm em comum? Eles são feitos com plantas nativas da Mata Atlântica!

De fato, muitas espécies populares são exclusivas do bioma, como a jabuticaba, a goiaba, o araçá, a pitanga, o caju e a erva-mate.

Milhares de espécies exclusivas

Apenas no grupo das angiospermas (vegetais com sementes protegidas por frutos), a Mata Atlântica abriga 20 mil espécies!

De fato, é um número impressionante: na Europa, esse valor é 12 mil e, na América do Norte, 17 mil. Ou seja: em apenas um bioma brasileiro, temos mais espécies dessas plantas que em continentes e subcontinentes inteiros!

Além disso, no caso das plantas sem sementes (como as samambaias), são mais de 800 espécies, que correspondem a 73% das plantas desse tipo no país.

Campeã mundial

A Mata Atlântica possui a maior diversidade de árvores do mundo!

O recorde vem do Parque Estadual da Serra do Conduru, no sul da Bahia, que possui 454 árvores diferentes por hectare!

São 8 mil esp´écies endêmicas – ou seja, que só podem ser encontradas na Mata Atlântica.

Além disso, metade das plantas vasculares do bioma não existem em nenhum outro lugar do planeta.

Por exemplo, na categoria das bromélias, 70% das espécies são exclusivas, seguidas pelas palmeiras, com 64%. Incrível, né?

A flora da Mata Atlântica possui a maior diversidade de árvores do mundo. Foto: Equipe do Parque das Aves.

Floresta em extinção

Por isso, a Mata Atlântica é considerada um dos biomas mais ricos em espécies no planeta.

No entanto, toda essa riqueza está ameaçada. Da floresta original, restam apenas cerca de 12%.

Logo após o “descobrimento” do país, a flora da Mata Atlântica já sofria com uma economia de exploração intensa e predatória. De fato, o pau-brasil, espécie que batizou nosso país, foi o primeiro alvo dessa extração – e segue ameaçado de extinção até hoje.

Depois dele, diversas outras madeiras de valor (como tapinhoã, sucupira, canela, canjarana, araribá e pequi) foram tratadas da mesma forma.

No Sul do país, a busca pela madeira e sementes (pinhões) do pinheiro-do-paraná ou araucária destruiu florestas imensas. Como resultado, atualmente a espécie conta com menos de 3% de sua área de distribuição original.

A mata também foi deliberadamente derrubada para ser substituída por plantações de cana-de-açúcar no Nordeste e de café no Sudeste.

Hoje, praticamente 90% da área de Mata Atlântica brasileira está totalmente destruída.

Assim, ela é considerada a segunda floresta mais ameaçada do mundo.

Comércio perigoso

Além do desmatamento, também existe um comércio ilegal de espécies vegetais.

É o caso do palmito da palmeira-juçara, fundamental na dieta de diversos animais. Apesar de ser proibido, a venda clandestina desse palmito em conserva é muito comum.

Então, para tentar resolver a situação, a aposta é comercializar sucos e açaí com o fruto da palmeira-juçara, evitando derrubar a árvore para extrair o palmito.

Além disso, existe a extração descontrolada de cipós, orquídeas, bromélias e plantas medicinais. Além de insustentável, essa atividade está conectada com a biopirataria.

Assim, ao longo dos séculos, muitas plantas nativas foram coletadas à exaustão… ou foram removidas para criação de plantações, pecuária e grandes cidades.

Por isso, o bioma sofreu muito com a expansão desordenada das atividades humanas.

Porém, a Mata Atlântica oferece muitas oportunidades de gerar renda respeitando a natureza e as comunidades locais.

De fato, alguns exemplos de sucesso são o mercado de carbono, o ecoturismo e a extração regulamentada de plantas, usadas para produzir alimentos, remédios, cosméticos, roupas e objetos.

Muitas espécies da flora da Mata Atlântica estão ameaçadas de extinção. Quando isso acontece, diversos animais ficam vulneráveis, sem encontrar abrigo ou alimento. Foto: Equipe do Parque das Aves.

Defendendo a flora da Mata Atlântica

Felizmente, existem muitas pessoas empenhadas em recuperar a flora da Mata Atlântica.

Por exemplo, a constituição brasileira já colocava o bioma como patrimônio nacional desde 1988. Por isso, é proibido derrubar a mata primária (vegetação original, que não surgiu de de reflorestamento).

Além disso, instituições sem fins lucrativos, empresas e cidadãos de todo o país buscam conservar e restaurar esse bioma. Inclusive, existe uma Rede de ONGs da Mata Atlântica, que promove a cooperação entre esses movimentos.

Você também pode ajudar a floresta

Quer ajudar a proteger as árvores da Mata Atlântica também? Então, veja essas dicas valiosas:

Evite o consumismo e o desperdício

Zele por tudo o que você tem: papel, energia elétrica, água, roupas, objetos, brinquedos. Assim, as coisas duram mais, e não precisam ser substituídas com tanta frequência!

Afinal, antes desses itens chegarem até você, áreas foram desmatadas para retirar matéria-prima ou instalar fábricas.

Reduza o consumo de alimentos de origem animal

Em geral, alimentos de origem animal geram mais impacto ambiental e estão associados ao desmatamento.

Então, que tal começar participando da campanha mundial Segunda Sem Carne? Aqui no Parque das Aves, nós já aderimos à campanha no refeitório dos funcionários! Clique aqui para descobrir como montar uma refeição vegetariana nutritiva.

Utilize o buscador Ecosia no lugar do Google

Após cerca de 45 buscas na internet, o Ecosia planta uma árvore, inclusive em áreas de Mata Atlântica! Você pode utilizar o Ecosia no computador, tablet e celular.

Plante árvores nativas

Tem espaço no jardim ou no quintal? Plante árvores nativas da Mata Atlântica! Alguns hortos municipais distribuem mudas nativas… e é fácil comprá-las em lojas físicas e na internet!

Doe para quem planta árvores

Não tem espaço para plantar árvores? Então, faça uma doação para ONGs que restauram o bioma, como Apremavi, A Copaíba, Iniciativa Verde e SOS Mata Atlântica.

Inclusive, algumas dessas organizações defendem as áreas de floresta que já existem no bioma. Afinal, plantar novas árvores é extremamente necessário… mas não substitui os serviços ambientais prestados pelas florestas maduras!

Existem muitas maneiras de salvar esse bioma fantástico! Então… você já escolheu a sua?

Você pode proteger a flora da Mata Atlântica com atitudes simples, como evitar o consumismo e o desperdício, plantar árvores nativas, fazer doações para instituições ambientais ou reduzir o consumo de alimentos de origem animal. Foto: Equipe do Parque das Aves.

Descubra mais sobre a flora da Mata Atlântica

Quer saber mais? Então, você pode se interessar por essas postagens:

10 frutos da Mata Atlântica que você precisa conhecer

7 plantas medicinais da Mata Atlântica

Conheça 15 árvores raras da Mata Atlântica

5 plantas nativas da Mata Atlântica que atraem borboletas

Viva a Mata Atlântica de perto

Em em sua próxima visita a Foz do Iguaçu, não deixe de visitar o Parque das Aves e conhecer a Mata Atlântica bem de pertinho! Estamos em frente às Cataratas do Iguaçu. Veja mais detalhes sobre a visita aqui.

O Parque das Aves é um espaço de conexão única com a fauna e a flora da Mata Atlântica.
Foto: Equipe do Parque das Aves.

Como você se sentiu com este conteúdo?
+1
0
+1
4
+1
0
+1
0
+1
0
+1
0
+1
0