7 atitudes para ajudar a combater as mudanças climáticas

No dia 16 de Março, celebramos o Dia Nacional da Conscientização sobre as Mudanças Climáticas. Essa data foi criada para que possamos refletir e avaliar as necessidades de ações que diminuam os impactos das mudanças climáticas no planeta.

É de extrema importância que cada um nós faça sua parte, afinal todos os dias sentimos essas mudanças ou somos bombardeados com informações de chuvas intensas, deslizamentos, aumento da temperatura no planeta e eventos climáticos extremos. Por este motivo, montamos uma lista com 7 ações que você pode fazer no seu dia a dia para efetivamente ajudar muito o nosso planeta! Vamos lá?

No Brasil, já sofremos com as mudanças climáticas: todos os anos, diversas cidades batem novos recorde de temperaturas, sofrem com a falta de chuva ou mudanças bruscas nas condições climáticas. Imagem: Senac

1. Compre comida de época e produzida perto de você

Quando você compra alimentos produzidos em sua cidade e região, além de estimular a economia local, você ajuda muito a reduzir a emissão de gases de efeito estufa (GEE), já que o trecho de transporte é muito mais curto e, portanto, menos poluente. Isso não vale apenas para verduras, frutas e legumes, mas para qualquer produto que você comprar. Basta checar o endereço na embalagem!

Uma outra dica para diminuir a emissão de GEE é priorizar alimentos da estação, que além de serem mais frescos e mais baratos, são mais fáceis de produzir, e portanto utilizam menos agrotóxicos e água no cultivo. Além disso, estes alimentos sazonais são muito mais gostosos, por conta das condições favoráveis de cultivo.

Além de consumir produtos locais e da estação, você ainda tem a oportunidade de comer PANCs (Plantas Alimentícias Não Convencionais). Imagem: Clube Orgânico

2. Utilize sacolas de pano ou caixas de papelão nas suas compras

Quando for fazer compras em mercados, farmácias ou na feira, evite as sacolas plásticas: feitas de petróleo, essas sacolas poluem o meio ambiente durante a sua produção, pois a extração da sua matéria-prima é extremamente poluente, e também no descarte, pois dificilmente são recicladas. Além de serem utilizadas por pouquíssimo tempo, acabam nos aterros sanitários, liberando gases de efeito estufa por um longo tempo.

Por isso, quando for fazer suas compras, coloque-as em caixas de papelão (que normalmente já estão disponíveis próximo do caixa dos mercados) ou leve sacolas de pano. 

Na hora das compras, podemos preferir sacolas de pano ou caixas de papelão, o que evita o uso de sacolas plásticas feitas de matéria-prima poluente

3. Cozinhe com as panelas tampadas

Quer se engajar ainda mais evitando emissões de gases de efeito estufa? Tampe as panelas! Enquanto estiver preparando seus alimentos, sempre que possível, mantenha as panelas fechadas. Assim, você conserva melhor o calor e economiza gás de cozinha.

O gás de cozinha pode ser extraído de duas fontes, ambas não renováveis: processamento do gás natural (que vem de reservas no subsolo) ou refinamento do petróleo cru. Por isso, quanto mais economizarmos gás durante o preparo diário dos nossos alimentos, menos petróleo será usado na produção de gás de cozinha.

Tampar as panelas para cozinhar é uma forma de economizar gás de cozinha, o que ajuda a evitar que mais petróleo poluente seja utilizado para a sua fabricação. Imagem: iStock

4. Prefira eletrodomésticos com Selo Procel

Você já viu um adesivo de sorriso em alguns eletrodomésticos? Esse é o selo Procel, que tem como finalidade mostrar ao consumidor os equipamentos e eletrodomésticos que são mais eficientes e econômicos no uso de energia. Quando você opta por um aparelho com Selo Procel, além de ajudar o seu bolso, já que estará gastando menos energia elétrica, você estará contribuindo com o meio ambiente!

Procure pelo selo da Procel quando for comprar um eletrodoméstico. Assim, ele será mais econômico, gastando menos energia elétrica

5. Compre apenas o que é realmente necessário

Consumir menos produtos e serviços desnecessários ajuda você a economizar e diminui muito os impactos ambientais da nossa rotina, produzindo menos lixo e gerando menos gases de efeito estufa na produção e descarte dos produtos.

Uma maneira de refletir mais sobre as coisas que compramos desnecessariamente é conhecendo o ciclo de vida dos produtos, ou seja, entendendo de onde eles vem (Como é feita a extração da matéria prima?), saber como se dão os processos de fabricação (Quem fez minhas coisas? Onde e como elas são feitas?) e como geralmente é feito o descarte final (Por exemplo: esse produto pode ser reciclado quando eu não quiser mais, gerando renda para algum profissional da reciclagem? Ou vai acabar num aterro sanitário por séculos, ocupando espaço e gerando poluição?). Todas essas práticas fazem parte do consumo consciente e podem se tornar um hábito importantíssimo para quem quer dar aquela mãozinha para o planeta, além de evitar compras e boletos desnecessários, ajudando você a economizar uma grana!

Procure pelo selo da Procel quando for comprar um eletrodoméstico. Dessa forma, ele será mais econômico, gastando menos energia elétrica. Imagem: Tv Minas

6. Busque transportes alternativos

Veículos automotores são grandes geradores de gases que elevam a temperatura da Terra. Porém, quando usamos transporte coletivo, dividimos essas emissões de gases entre todos as pessoas do coletivo, o que diminui o seu impacto de deslocamento. Outras formas de deslocamento, como a boa e velha bicicleta e caminhadas (nem que seja em uma parte do trecho), também ajudam muito o planeta e evitam que você passe estresse no trânsito. Também vale lembrar que já existem diversas cidades onde é possível alugar bicicletas e patinetes elétricos ao longo do perímetro urbano.

Se usar o carro for absolutamente imprescindível, ainda existem algumas coisas que podemos fazer para minimizar o seu impacto ambiental. Preferir carros movidos a álcool e flex, privilegiar modelos que fazem mais quilômetros por litro de combustível e oferecer muitas caronas solidárias, sempre tentando ocupar mais lugares no carro, são boas maneiras de compensar um pouco o uso de veículos automotores.

O impacto do uso de carros para transporte individual é imenso, mas a boa notícia é que existem diversas atitudes que ajudam a poluir menos. Uma delas é oferecer caronas solidárias para dividir as emissões de gases de efeito estufa (GEE). Imagem: Brasília em movimento

7. Coma mais vegetais e menos alimentos de origem animal

O consumo de carne e laticínios em excesso está muito ligado à produção de gases de efeito estufa (GEE): até mesmo a ONU já alertou que a humanidade precisará consumir menos carne e que uma dieta com mais vegetas, além de muito saudável, ajuda a proteger a natureza.

Mas calma! Você não precisa parar totalmente de comer carne. Que tal começar trocando a carne vermelha pela branca (frango ou peixe) em algumas refeições, e o leite de vaca por algum tipo de leite vegetal (coco, arroz, aveia, amendoim, soja, etc) em outras preparações? Ou alternar refeições com e sem carne/laticínios, de maneira equilibrada?

Uma outra ideia é escolher um dia na semana para preparar receitas vegetarianas e veganas. Há tantas opções deliciosas na internet. Conheça novos sabores!

O impacto positivo que você gera ao deixar de consumir carne e laticínios em apenas um dia na semana é enorme. Que tal tentar fazer isso em algumas refeições?

O impacto ambiental positivo de reduzir o consumo de carne e laticínios em apenas um único dia inclui economizar milhares de litros de água (suficientes para você tomar banho por quase um mês!), além de evitar a geração de muitos quilos de gás carbônico, o desmatamento de florestas e o uso de agrotóxicos em larga escala nas plantações de soja que produzem a ração dos animais de pecuária. Vale a pena fazer um esforcinho, né?

E aí? Qual dessas atitudes você acredita que pode incluir na sua rotina para contribuir com a missão de ajudar o planeta? Conta para a gente nos comentários e compartilhe para engajar mais pessoas!

Foto da capa:

Como você se sentiu com este conteúdo?
+1
2
+1
4
+1
0
+1
1
+1
0
+1
0