Como enriquecemos a rotina dos animais do Parque das Aves

Por: Roberta Manacero, chefe da Divisão de Bem-Estar Animal do Parque das Aves

Você já deve ter acompanhado alguma das atividades temáticas de enriquecimento realizadas, em datas comemorativas, para os animais que vivem aqui no Parque das Aves. Páscoa, Dia das Bruxas e Natal foram algumas delas. Mas você sabia que essas atividades ocorrem o ano todo, diariamente, de maneiras diferentes?

Arara-azul comendo um alimento próximo a uma abóbora
Arara-azul (Anodorhynchus hyacinthinus) interagindo com um item de enriquecimento ambiental do Dia das Bruxas

A Divisão de Bem-estar Animal (DBEA), estabelecida no Parque desde 2015, conta com uma equipe de cinco pessoas que trabalham para exclusivamente promover e monitorar um alto grau de bem-estar dos animais do Parque, buscando sempre a melhor qualidade de vida possível. As principais atividades dessa Divisão são: o monitoramento comportamental, as sessões de condicionamento e o oferecimento de itens de enriquecimento ambiental. O Programa de Enriquecimento Ambiental do Parque das Aves consiste em ofertar atividades e itens que tornam o ambiente dos animais em locais mais complexos e interativos, e por consequência, estimulam cada um de seus comportamentos naturais. Este tipo de atividade traz aos animais uma maior oportunidade de escolha e um melhor controle deste ambiente repleto de desafios e novidades, e então, naturalmente gera um maior grau de bem-estar animal.

Espaço da Divisão de Bem-Estar Animal
Os visitantes do Parque das Aves tem a oportunidade de ver o trabalho da equipe de bem-estar animal através dessa janela de vidro

Conheça os 5 tipos de enriquecimento ambiental

Há formas variadas de enriquecer o espaço em que os animais vivem e praticamente todas elas são utilizadas aqui no Parque, sendo algumas com mais frequência do que outras. Os cinco tipos de enriquecimento ambiental existentes são estes:

  • Físico: itens que alteram a estrutura do recinto temporariamente, como vegetações, cordas, poleiros e substratos.
  • Sensorial: itens que estimulam os cinco sentidos – tato, olfato, paladar, visão e audição. São exemplos destas atividades o uso de temperos para estimular o olfato, e diferentes texturas para estimular o tato.
  •  Social: proporcionar contato social com animais de mesma espécie ou de outras espécies. Nestes casos uma observação comportamental sempre é realizada para garantir que uma aproximação gradativa e pacífica dos indivíduos possa ocorrer. Neste tipo de enriquecimento é comum também o uso de espelhos, como fazemos no recinto dos flamingos para que visualizem um maior número de animais no grupo.
Aves dentro do recinto no Parque das Aves junto com uma grande vegetação
Todos os recintos no Parque das Aves são adaptados de acordo com as espécies que vivem nele
  • Cognitivo: itens que estimulam o raciocínio, e que implicam na resolução de um desafio para obter algo prazeroso, como uma recompensa alimentar, por exemplo.
  • Alimentar: consiste no oferecimento de alimentos que não fazem parte da dieta diária, ou na oferta diferenciada dos próprios itens convencionais da dieta.
Araras-vermelhas interagindo com blocos de gelo com frutas
Os blocos de gelo com frutas são ofertados em dias muitos quentes

É muito importante que os enriquecimentos sejam específicos, ou seja, adequados não só à espécie, mas também as características do indivíduo que recebe as atividades. Para escolher os enriquecimentos é necessário, então, conhecer o comportamento natural de cada espécie e o histórico individual de cada animal, para assim traçar o objetivo de cada atividade. Por exemplo: as araras naturalmente desgastam o bico destruindo madeira e como podemos oferecer a oportunidade de realizarem esse comportamento natural na frequência que desejam? Uma opção é o oferecimento de móbiles feitos de madeira, bambu e casca de pinus estrategicamente pendurados pelo recinto para que os animais tenham a opção de interagir com eles.

Arara-canindé bicando um pingente feito com madeira
Arara-canindé (Ara ararauna) gastando seu bico nos móbiles de madeira

O trabalho da equipe é intenso

Para manter um controle do que é oferecido para cada indivíduo, bem como a frequência e a variedade de itens ofertados, a Divisão de Bem-estar Animal elabora programações semanais contendo as atividades que serão confeccionadas e oferecidas para cada recinto. Toda semana é diferente para que nunca ocorra uma repetição de horários e atividades! Assim o enriquecimento permanece sempre sendo uma novidade, quebrando a rotina que poderia se tornar monótona!

Após ofertar os enriquecimentos no interior de cada recinto, a equipe faz sessões de observação para registrar o comportamento dos animais diante da interação deles com cada item. A coleta de dados é muito importante, pois nos diz se o enriquecimento atingiu o objetivo planejado e se está sendo algo atrativo e que promove oportunidade de escolha a os animais.

Auxiliar de Enriquecimento Ambiental fazendo observação dos animais
A observação diária da equipe é muito importante para medir o grau de bem-estar de cada animal

A equipe desta Divisão confecciona, oferece e monitora mais de 100 atividades de enriquecimento ambiental por semana, para os cerca de 1300 animais que vivem nas diferentes áreas do Parque, inclusive aqueles fora da área de visitação. É uma rotina intensa, de muito trabalho, sempre com foco em proporcionar o melhor grau de bem-estar aos animais que vivem sob nossos cuidados.

Conheça o Parque das Aves, em Foz do Iguaçu, ao lado das Cataratas do Iguaçu, e acompanhe o trabalho da equipe da Divisão de Bem-Estar Animal bem de perto!

Como você se sentiu com este conteúdo?
+1
3
+1
0
+1
0
+1
0
+1
0
+1
0