5 lugares no Parque das Aves que são os mesmos desde a inauguração

Qual lugar aqui no Parque das Aves traz a você uma memória marcante? Para nós, mesmo que cada cantinho seja muito especial, existem alguns locais na trilha que são os mesmos desde a sua criação. São lugares que carregam grandes momentos e que são repletos de significado. Afinal, 25 anos de história não é pouca coisa!

Muitos desses espaços foram modificados ou adaptados ao longo dos anos, porém continuam no mesmo local, encantando visitantes até hoje. Por isso, fizemos uma lista dos 5 lugares que permanecem no mesmo local desde a inauguração do Parque das Aves.

1. Entrada do Parque

Entrada do Parque das Aves vista de frente
Entrada do Parque das Aves, em 2019

Sabe aquela estrutura em formato de casa, localizada logo após a ponte do lago dos peixes? Então, ela continua sendo a entrada do Parque das Aves. Mas além de ser a entrada, esse lugar também já foi a bilheteria, onde os visitantes adquiriam seus ingressos. Nessa época, o número de visitantes era bem menor do que hoje e quando a visitação foi aumentando cada vez mais, vimos a necessidade de construir uma nova bilheteria. Atualmente o visitante adquire seu ingresso na bilheteria, localizada em outro local do Parque, e depois passa por essa “casinha” onde estão as catracas da entrada.

2. Lago dos Flamingos

Vista do Lago dos Flamigos direto da trilha
Lago dos Flamingos, logo no começo da trilha do Parque das Aves

Você que já veio ao Parque, provavelmente se encantou com aquela paisagem rosada logo no começo da trilha. O Lago dos Flamingos é um local que permanece no mesmo lugar desde a fundação do Parque das Aves. E com o passar dos anos, ele foi sendo modificado para proporcionar um ambiente ainda mais natural para os flamingos que ali vivem. No início dos anos 2000, nossa equipe encontrou uma forma de oferecer aos flamingos uma maior qualidade de vida, inserindo em seu recinto um paredão de espelhos, sobrepostos de forma que faz o grupo parecer muito maior.  Na natureza, os flamingos vivem em grandes grupos pois, dessa forma, eles se sentem muito mais protegidos e seguros. E os espelhos dão essa segurança e tranquilidade para as aves, aumentado seu grau de bem-estar.

Outra mudança possível de se observar é o substrato do recinto que, ao longo dos anos, foi composto por grama, terra, argila e atualmente é formado por areia. Esse material foi o que os flamingos mais se adaptaram. Dessa forma, eles mesmos constroem seus  ninhos.

3. Os Pequenos Marrons

Uma perdiz dentro do Viveiro Os Pequenos Marrons
Uma ilustre moradora do Viveiro Os Pequenos Marrons

Talvez você conheça esse recinto por Viveiro Floresta. Hoje ele se chama “Os Pequenos Marrons e é o primeiro recinto de imersão do Parque, onde os visitantes podem entrar junto com as aves e ficar bem pertinho delas. A mudança do nome se deve ao fato do recinto abrigar diversas espécies de aves da Mata Atlântica, pequenas, marrons e pretas, que não são tão atrativas aos olhos, mas que são fantásticas e carismáticas. Entretanto, boa parte delas está ameaçada de extinção e desempenham diversos papéis ecológicos na natureza. Muitos são disseminadores de sementes, alguns fazem parte da base da cadeia alimentar como presas, e outros são predadores.

4. VIVEIRO AVES DE RIOS E MANGUES
Turistas sobre a ponte no Viveiro Aves de Rios e Mangues
Viveiro Aves de Rios e Mangues

O Viveiro Aves de Rios e Mangues também mudou de nome. Antigamente chamado de Viveiro Pantanal, hoje ele é o segundo viveiro de imersão da trilha e abriga muitas aves que vivem em rios e manguezais da Mata Atlântica. Outra característica especial desse recinto é a ponte de madeira que passa por cima do lago onde é possível ver vários peixes. Esse recinto era o lugar favorito do Sr. Dennis Croukamp, fundador do Parque das Aves. Por isso, em sua memória, foi criado uma placa em seu nome, que fica dentro do recinto.

5. Borboletário
Borboletas no Borboletário do Parque das Aves
Borboletário

Quase no final da trilha do Parque está localizado o nosso Borboletário, fundado por John Leggatt, amigo da família Croukamp, que está aqui desde o comecinho. Esse lugar mágico abriga mais de 30 espécies de borboletas e 6 espécies de beija-flores. Dependendo da época do ano, ele fica muito mais colorido por conta das flores e da quantidade de espécies diferentes.  Atualmente, o Borboletário também dispõe de um espaço onde você pode tirar lindas fotos em asas enormes de borboletas.

Esses são os 5 lugares históricos que fazem parte da trilha do Parque das Aves, localizado em Foz do Iguaçu, ao lado das Cataratas do Iguaçu, desde a sua inauguração. E nós temos um carinho gigantesco por cada um deles. E você? Qual desses lugares é o seu favorito?