Conheça 8 influências das aves em sua vida

As aves silvestres provavelmente estão mais presentes no seu dia a dia do que você imagina. Vamos conhecer algumas razões pelas quais as aves influenciam na nossa vida?

1 – Aves ajudam a plantar árvores

Muitas espécies de aves que se alimentam de frutos ajudam a espalhar sementes e indiretamente plantar árvores. Isso acontece com jacus, gralhas, papagaios e muitas outras espécies, que podem tanto consumir o fruto inteiro e defecar as sementes, quanto derrubá-las pelo caminho sem querer. As aves que se alimentam de sementes funcionam como um saco de sementes voador, podendo dispersá-las muito longe de onde estavam, contribuindo para a variabilidade genética das plantas.

Jacutingas (Aburria jacutinga) em cima de uma palmeira-juçara. Foto: Demis Bucci, retirada do WikiAves

Ao plantar árvores, as aves ajudam indiretamente a alimentar outros animais de uma maneira geral. Por exemplo, um estudo apontou que a jacutinga chega a dispersar mais de 41 espécies de plantas, incluindo o palmito-juçara (Euterpe edulis), palmeira que alimenta mais de 70 espécies de animais. Por isso, a jacutinga é considerada uma grande jardineira da Mata Atlântica!

Você pode observar essa espécie aqui no Parque das Aves, em Foz do Iguaçu, e também dentro no Parque Nacional do Iguaçu, o maior remanescente de Mata Atlântica de interior do sul do país.

2 – Aves ajudam a proteger os animais de criação

Quando o ambiente está equilibrado, muitos animais que são predadores, como felinos e cachorros-do-mato, caçam aves silvestres para se alimentar. Assim, eles não têm motivos para atacar rebanhos nem animais de criação, como vacas, carneiros, cabras e galinhas. Afinal, carnívoros silvestres só atacam animais domésticos quando suas presas desaparecem do ambiente natural, principalmente devido à caça ilegal e ao desmatamento.

O macuco (Tinamus solitarius) é presa de diversos animais. Portanto, não caçar essa ave evita que carnívoros silvestres famintos ataquem rebanhos nas propriedades rurais

Uma outra ave que contribui na criação de animais  é a garça-vaqueira (Bubulcus ibis). Ela se alimenta das cigarrinhas-das-pastagens: esses insetos, quando estão em grande quantidade, causam destruição nas gramíneas, atrapalhando na alimentação do gado. Dessa forma, cuidar das garças-vaqueiras ajuda na produção de carne e leite. Além disso, essas garças também removem os carrapatos dos bois.

A garça-vaqueira (Bubulcus ibis) tem o costume de acompanhar os rebanhos, removendo insetos das vacas. Foto: Casa dos pássaros

3 –  Aves mantêm os ambientes limpos e livres de doenças

Os urubus desempenham um papel muito importante em relação à limpeza das florestas e cidades: boa parte da sua dieta inclui carcaças de animais mortos e outros materiais orgânicos em estados de decomposição. Esse comportamento contribui muito para diminuir a propagação de doenças, pois as carcaças contém bactérias que poderiam causar doenças como botulismo, antraz, raiva, tuberculose e cólera.

O urubu-de-cabeça-preta (Coragyps atratus) é um verdadeiro “faxineiro” do ambiente natural: ao se alimentar de carcaças, evitam que humanos e outros animais se contaminem com doenças. Foto: Luiz Bravo, retirada do WikiAves.

4 – Aves comem insetos-praga e insetos que transmitem doenças

Aves como perdizes , pica-paus e carcarás exercem um importante papel no controle de insetos, principalmente insetos-praga que prejudicam as plantações e pastagens. Andorinhas e papa-moscas também são aves que capturam insetos com muita eficiência, e como fazem isso durante os voos, passam a maior parte do dia voando.

As perdizes (Rhynchotus rufescens) são aves que consomem uma grande quantidade de insetos, inclusive insetos que prejudicam as plantações

5 – Aves comem ratos e serpentes

Gaviões, corujas, emas e seriemas são aves predadoras, que regulam as populações de roedores e serpentes, inclusive as peçonhentas. Não é à toa que essas aves são “caçadoras” muito ágeis!

As corujas são responsáveis pelo controle da população de ratos, protegendo os humanos de doenças disseminadas por eles

6 – Aves são responsáveis pela polinização

Assim como muitos insetos, os beija-flores são aves importantíssimas para a polinizar as plantas que possuem flores, inclusive as  que utilizamos para fins alimentícios, medicinais, cosméticos e decorativos. Assim, muitas flores evoluíram conjuntamente com essas pequenas aves, mantendo formatos mais tubulares para facilitar o momento em que o bico do beija-flor tenta chegar na corola cheia de néctar!

O beija-flor é um animal polinizador de plantas

7 – As aves alavancam o turismo 

A prática da observação de aves (birdwatching) alavanca o turismo em diversas regiões do mundo, e têm crescido muito no cenário brasileiro. Eventos como o Festival de Aves Migratórias, em Mostardas, no Rio Grande do Sul, e o Festival do Papagaio Charão e do Papagaio de Peito Roxo, na cidade de Urupema, em Santa Catarina, são exemplos disso.

O próprio Parque da Aves mostra como a beleza desses animais pode motivar muitas pessoas a quererem conhecer mais sobre a natureza!

O contato próximo com as aves é uma interação procurada por muitos turistas do mundo todo

8 – As aves nos inspiram 

As aves fazem parte do nosso dia a dia e estão presentes em diversas manifestações artísticas, como músicas, fábulas, poesias, lendas, trovas, fotografias, filmes e livros. Por exemplo, em nosso país, há referências à aves em diversos momentos.

Elas também estão muito presentes em expressões como “uma andorinha só não faz verão”, “come pouco que nem passarinho”, “mais vale um pássaro na mão que dois voando”, “água que passarinho não bebe” e “essa menina tem perna de saracura”.

Nas bancas de revista, há livros de “piadas de papagaio”. Nas escolas, são ensinadas lendas famosas envolvendo aves, como a lenda da gralha-azul, a lenda do uirapuru e a lenda do joão-de-barro.

Gralha-azul (Cyanocorax caeruleus), ave símbolo do estado do Paraná

Muitos brasões de cidades e estados contêm imagens de aves e cada estado brasileiro tem uma ave-símbolo. Diversas ruas, bairros e cidades tem nomes de aves. A música “Asa Branca” está em toda quadrilha de festa junina. Dentro do catolicismo, uma pomba branca representa o Espírito Santo.

Brasão do estado do Rio de Janeiro, com a representação de uma harpia (Harpia harpyja)

São tantas referências a esses animais que é quase impossível não ver a imagem ou a ideia de uma ave em algum momento do nosso dia!